sábado, 6 de julho de 2013

Deus é o criador do mal?


Sobre sua dúvida está em Isaías 45:7: "Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas". Seria Deus o autor do mal, do pecado e de toda a perversidade?

Isaías 10:5-6 Ai da Assíria, a vara da minha ira, porque a minha indignação é como bordão nas suas mãos. Envia-la-ei contra uma nação hipócrita, e contra o povo do meu furor lhe darei ordem, para que lhe roube a presa, e lhe tome o despojo, e o ponha para ser pisado aos pés, como a lama das ruas.

Jeremias 32:42 Porque assim diz o SENHOR: Como eu trouxe sobre este povo todo este grande mal, assim eu trarei sobre ele todo o bem que lhes tenho declarado.
Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.
Jó 2:10

E, estando ele ainda falando com eles, eis que o mensageiro descia a ele; e disse: Eis que este mal vem do SENHOR, que mais, pois, esperaria do SENHOR?
2 Reis 6:33

Tocar-se-á a trombeta na cidade, e o povo não estremecerá? Sucederá algum mal na cidade, sem que o SENHOR o tenha feito?
Amós 3:6

A palavra “mal”, destacada acima, é ra’, no hebraico, que, juntamente com rõa’ e rã’â são “adjetivos cognatos da raiz r” [que] pode ter a conotação tanto passiva quanto ativa: ‘infortúnio’, ‘calamidade’, de um lado, e ‘perversidade’, do outro. Pode ocorrer em contextos profanos, ‘ruim’, ‘repulsivo’, e em contextos morais, ‘mal’, ‘impiedade’” (1998, p. 1441).

Os autores diz-nos que o substantivo ra’ denota, além de ferimentos físicos e atividades imorais, “épocas de aflição” (idem, p. 1442). Eles vinculam Isaías 45:7 à esta última interpretação. Ou seja, o mal que Deus diz criar não é o mal moral, mas uma situação de calamidade, infortúnio, ou, como diz a Tradução Ecumênica da Bíblia (TEB), de “desgraça”.
Foi exatamente o que aconteceu com jó
Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.
Jó 2:10
Levando em consideração o contexto da referência em questão, não há dúvidas de que o mal que Deus estava criando se tratava do juízo (calamidade, infortúnio, desgraça) dele pelas mãos do Rei Ciro sobre os opressores de Israel. Babilônia experimentara contra ela o amargor do mal levantado por Deus. Sendo assim, não estamos diante um Deus criador do mal moral, mas sim de um Deus que executa juízos aos quais, do ponto de vista humano, não podem ser chamados de bem (tôb).

Outras referências citadas pelos acusadores de Deus são Lamentações 3:38 e Amós 3:6. Estas, de igual modo, devem ser circunscritas à interpretação supra. Penso que os advogados da teoria “Deus, o criador do mal”, devem admitir que a palavra hebraica ra’ é muito geral para ser usada como indicativo de que a existência do mal é um fato a ser debitado na conta de Deus.

Quando o Senhor diz que criou o mal, Ele realmente criou. Criar o mal não significa se envolver com o mesmo. Foi necessário criar o mal, para haver o livre arbítrio, se não tivesse o mal, não teria opção de escolha. A árvore do conhecimento do bem e do mal, pode ser chamada de mal, pois foi colocada por Deus para que o homem fosse provado.
E Isaías 45:7. O que Deus fez? Outras passagens nos ajudam. Deus não criou o mal no sentido moral. "Pois tu não és Deus que se agrade com a iniqüidade, e contigo não subsiste o mal" (Salmo 5:4-5). Deus não tenta ninguém, pois ele é a fonte de "toda boa dádiva e todo dom perfeito" (Tiago 1:13-17).

A palavra "mal" em Isaías 45:7 vem de uma palavra original que pode ter vários sentidos. Neste contexto e em outros onde Deus faz ou traz o mal, a palavra significa "calamidade" ou "punição". É o oposto de paz. Deus usaria Ciro para "abater as nações" (45:1). Em 45:8, Deus promete salvação (paz) e justiça (punição ou mal). Outros trechos usam a mesma linguagem. Os males que Deus ameaçou trazer em 2 Reis 22:16 foram punições e calamidades (veja Josué 23:15, onde aparece a mesma palavra no original).
Deus criou o mal? Sim, no sentido que um Deus justo e santo se afasta do pecador e o castiga por sua iniquidade. Mas Deus jamais criou o pecado, e não tenta ninguém.

O mal é a falta ou a privação de algo bom que Deus fez, é como fazer uma folha de papel que só tenha a parte da frente, é impossível, para não existir a parte de traz você não deve nem fazê-la.

Por que Deus, na sua onipotência, não destrói o mal? 
Para Deus destruir o mal ele tem que tirar a nossa liberdade de escolhas, o nosso arbítrio, Ele tem poder para isso, e Ele pode fazer isso, mas no Jardim do Éden ele nos deu uma escolha, viver sempre na paz e no bem, ou viver na paz e no bem mas conhecendo o contrário disso! e foi isso que nós escolhemos!
Portanto não podemos lançar os problemas do mundo para Deus se nós que o escolhemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário